quarta-feira, 17 de maio de 2006

Nostalgia

Busco na lembrança do passado algo que me inspire e me encorage a caminhar em frente. Uma música, um momento, um perfume podem me levar no tempo. Me vejo acariciar meus sonhos juvenis. Eram tantos! Muitos se realizaram, porém a maioria evaporou na passagem desenfreada do tempo cruel. O sentimento de liberdade, de poder tudo não o tenho mais. Ficou lá, escondido. Às vezes uma brecha no tempo me faz retornar e um sorriso se abre espontaneamente. É um filme estranho, porém conhecido.
Alcançar o infinito. Ir em busca do sonho. Vaguear pelo reino da fantasia. Crer num mundo melhor e mais seguro. Ilusões... Eram tantas! Cair na real é muito complicado. A expectativa do que pode ser... Horas intermináveis com o olhar vago. Aquele desejo de crescer e ser livre. Poder tomar conta de si próprio. Fazer o que der na telha, sem cobranças ou censuras. Era tão fácil acreditar!
Passei por caminhos estreitos e lúgubres. Fui de encontro ao sol. Saciei minha sede por breves momentos de liberdade. Contudo continuo sedenta... O risco de tropeçar me acompanha. São tantos! A força às vezes se esvai. Muitos lírios são atirados estrada afora. E os espinhos... É tão difícil lutar contra os espinhos!
Nada é por acaso, isso não existe. O que já se foi pode retornar. As lembranças são como as idéias, imortais.

Por Bruxinhachellot.

Um comentário:

Felipe mac Lugh disse...

com certeza Cláudia, isso e algo q acontece nao so com vc , mas comigo e com meus amigos...muito bonito seu texto , curti..bjuxzxzxz e que boas lembranças ainda possam pairar e ser colecionadas pelas nossas memórias