quinta-feira, 6 de julho de 2006

"Medo é a cor da meia-noite"



"Medo é a cor da meia-noite.
O som de demônios desconhecidos que chamam seu nome.
Medo é fogo, e tempestade, e lugares indiscritivelmente frios com os ventos da vida.
Medo é trilhar por um caminho escuro e inalterável e de repente perceber que ele não leva a lugar nenhum.
mas ter de caminhar para sempre por ele. Sozinho."


Por Sandra Canfield.

Sentir medo é normal. Anormal seria deixar que o medo formasse barreiras em nossa vida. Se deixarmos o medo tomar forma e conteúdo, seremos como servos desse sentimento. Ninguém é corajoso em todas as situações. Nem sempre podemos nos esconder. Viver com medo não é viver. O caminho é a fé seja ela da forma que você acreditar.

Por Bruxinhachellot.


4 comentários:

Carlos Veiga disse...

O medo masculino do desconhecido pode ser incentivo ou motivo de receios.
O medo feminino é a dúvida óu a certeza, pois ambas podem machucar

O medo universal é a incerteza do amor na mútua medida.


Beijos!!

Carlos Veiga

Patrícia Santos disse...

Olá!!
Obg por passares no sítio do Alex (http://o-sitio-do-alex.blogs.sapo.pt) e por deixares o teu apoio. Também acredito que as coisas se vão resolver da melhor forma, mas não deixa de ser um sentimento de medo. O que tem tudo a ver com o teu post de hoje.

Beijos
Patrícia

Roderick disse...

Medo é ter e não saber.

Paulo Sempre disse...

"nada é o que parece ser"!!! grande verdade.....

força


Paulo