sexta-feira, 25 de agosto de 2006

Folha ao vento

Antes eu era submissa
Obediente, privava-me de meus anseios
Em meu sonho de conhecer o mundo.
***
Tão casta como minhas irmãs
Recebia-te como a um primoroso amigo
E quando partias sentia-me secar por dentro.
***
Um dia julguei poder partir contigo
No entanto, a mocidade me traía
Então implorei por uma breve espera.
***
Quando meu tempo de vida se esgotara
Pensei que havias me esquecido
Assim quando das amarras me libertei
Tu vieste e levou-me contigo.

Por Bruxinhachellot.

18 comentários:

Roderick disse...

Obrigado amiga, pelas palavras amigas.
Voltámos mais cedo, mas ainda tenho de regressar para ser operado.
Isto ainda não acabou.
Beijos

.*.Magia.*. disse...

Olá!

Pé ante pé...vem aí o melancolioso Outono!!!!Muito bonito, o poema!

Encantamentos de mil cores!

Tiago disse...

O pairar do tempo, o partir para descobrir...

obrigado por ter a oportunidade de visitar este lugar. Gostei muito...

bjs e bom fds
Tiago

Claudinha disse...

Que lindo! Adorei a imagem, adorei a maturidade das decisões no texto... Beijão!

justine disse...

o tempo não espera pelos nossos sonhos...

um beijo
justine

dreams disse...

o vento leva os sonhos e diz-nos que o tempo não espera por ninguém...

belo poema...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

cosmictarot disse...

Olá Miga!!

Mais um belo poema, aliás como sempre.

Quanto à tua carta...

:D Arranjaste mais um post para mim. Vou postar o Hierofante. É a tua carta.

Depois quero novidades, ok?
Beijos Grandes

Titania disse...

Somos folhinhas ao vento que nos levam pelo caminho que os Deuses traçaram para nós...

...quando for a altura certa!

E sorrindo de olhos brilhantes, seguimos de cabeça erguida ao encontro dos nossos Sonhos :)

Beijos e obrigada.

Marco Santos disse...

Que o amor sempre te leve para lugares de sonho...
Beijo!

Louco disse...

E quando as correntes se quebram, e no lugar delas crescem lindas plumas que fazem voar.
Obrigado

Paulo Sempre disse...

As "pequenas/grandes" coisas da vida fazem de nós admiradores da liberdade...
O sofrimento cultiva em nós um sentimento de liberdade e de libertatação....
Incendiaram-me a infância...biblioteca de sonhos...mas, ainda assim, hoje sou um "coração de papela" que teima em "bater" pelas pequenas coisa - que para mim são grandes - da vida.
bjs.
Paulo

Sil disse...

Oi! Obrigada pela "visita".
Belo poema...
Boa semana!
Beijos...

Um Poema disse...

Um encanto figurativo de que gostei.
Um abraço

MacLord disse...

Folhas que deslizam nas asas sagradas do Vento
Folhas que percorrem Cminhos e spaços
Folhas que Cobrem o Chão pisado pelos passos dos que caminham
Folhas que ussurram
Folhas Secas que permanecem Verdes e Frescas de Vida pela Vontade e pelo Sonho de quem um dia assumiu a Vida e Caminha embalado pelas Vozes Sagradas dos Deuses Antigos.

BB
)O(

Bete disse...

Linda poesia,

*Fernanda* disse...

Oi, bruxinha, tudo bem?
Então quer dizer que além de conhecer os encantos da natureza és tb poetiza?
Que lindas palavras, tão leves como a brisa e profundas como o aroma da terra molhada pela chuva.
Parabéns!!!!
Bjks,

Claudinha disse...

Olá, voltei para procurar atualizações, acabo de descobrir que não publiquei seu link, mas farei isto em breve! Umbeijo!

Luthien Numenesse disse...

Todos Nós somos folhas ao vento, de mente aberta espiritualmente, querendo que o vento nos varra de sabores doces como o Amor...

Beijinhos de Luz,

herenya Na!