quarta-feira, 15 de novembro de 2006

Minha Vida

Muitas pessoas pensam que o passado deve ficar enterrado e só o presente e o futuro valem a pena. Só que ninguém tem um presente e um futuro se não tiver tido um passado. Se ele foi bom ou ruim não deve ser esquecido. Tudo o que vivemos irá se refletir no presente e futuro. Recordar é uma forma de aprender com os erros e não mais correr o risco de errar novamente. Recordar é ser embalado pelos primeiros passos, as primeiras palavras, brincadeiras, sonhos de juventude, o primeiro amor, a primeira decepção, a esperança de um novo amanhecer. Por isso posto aqui um poema que escrevi aos 17 anos. Este poema refletia o meu estado de espírito da época. Quem não passou por uma crise na adolescência, mesmo que tenha sido fulgás? Aprendi com meus sentimentos, com meus sonhos não realizados, com minhas quedas, com meus anseios, minhas realizações e frustrações. Viver é correr todos os riscos. É ter passado, presente e futuro.

Minha vida não tem sentido.
Minha vontade é contida
Pela ausência de carinho.
Meu sofrimento é um deserto sem almas,
Que está perdido e sem lar,
Sem amigos e sem forças.
Meu mundo não me quer.
Estou infeliz e sem destino.
Angustiada e acuada
Num mar de dores e desilusões.
Amo o tudo, mas ele não me ama.
Vivo sonhando sem dormir.
Canto chorando uma canção
Que não tem som.
Falo palavras sem sentido.
Tenho idéias e não as uso.
Sou pura tristeza
E esperança tardia.
Conheço a dor, mas não o amor.
Sou filha da Lua
E não sou parecida com ela.
Sou terra sem Pátria,
Sem filhos, sem pais.
Sou um universo de paz
Dentro de um espaço vazio.
Medo não possuo, nem tenho rancor.
Sou fogo, sou cinzas,
Sou feita de pó.
Meu castigo é viver.
Minha mente é um vácuo.
Vivo num abismo sem fim.
Amo um amor que não me conheçe.
Estou cançada e sem descanço.
Procuro achar alguém e não encontro.
Meu coração é um galho quebrado.
Não tenho asas e não vôo.
Não tenho sorte e nem a procuro.
Minha vida é um caos,
Um labirinto infinito.
Sou como espinho sem flor
Que ao tocar desmancha
E volta ao nada.

Autora: Bruxinhachellot.

Vale acrescentar que não me sinto mais assim. Aprendi a apreciar as pequenas coisas da vida e a curti-la sem medo ou receios. Amo minha vida e tento a cada dia torná-la melhor.

Por Bruxinhachellot.

22 comentários:

greentea disse...

viver e isso mesmo, bruxinha

e recordar para nao cair nos mesmos erros e CORRER RISCOS porque senao a vida nao e vida mesmo


Um beijo para ti

Luna disse...

;) Feliz por hoje teres ultrapassado as nuvens que te impediam de sorrir...acredito que o nosso passado é importante, porque somos o reflexo das nossa vivências..contudo, acho que devemos viver em paz com ele...

jinhos

Defensor, O Maldito disse...

Saudações e...
UAU! Belíssimo texto. Parabéns!
Abraços

Blogildo disse...

Sem dúvida, o passado é importante para não cometermos os mesmos erros no presente e no futuro.

Bjs!

AnaGarrett disse...

O passado é que molda o nosso futuro.
Beijos

Marco António disse...

O tempo que vive dentro de cada um de nós, através da sua memória, do passado no presente, do presente no futuro, do futuro consequência do passado.
Gostei deste espaço intemporal.

Abraço,
Marco António

Wings disse...

Olá!
Venho agradecer as tuas palavras no meu canto.
Aqui no teu cantinho gostei muito do li,demonstras desde muito nova uma sensibilidade para exprimires os teus sentimentos de uma forma muito própria, fico contente que já naõ te sintas assim porque realmente não há melhor escola, que a vida, mas nem sempre somos capazes de ver tudo com lucidez, nem aprender com os nossos erros.
Gostei muito de aqui estar e vou voltar.

Beijos

Plum disse...

olá!eu e o plim queremos agradecer a visita à terra da magia!espero que voltes!adorei o teu cantinho!bom fim de semana!*

Isaac disse...

Ah! E quantas vezes negamos o passado, ingenuamente, no intento de afastar a Dor... Se somos, de fato, passado, presente e futuro... Não há como apagar a parte do caminho que já foi trilhada...

E a maturidade nos concede novos horizontes... "Viver é correr todos os riscos..."

Isaac disse...

Na contramão, deparei com esse cantinho especial...

JU disse...

Cara amiga que tambem nao conheco, mas que ja eh tao querida pra mim. Que bom que voce nao ve mais a vida desta forma.
Com o passado leva-se as experiencias os aprendizados, mas que deixemos la as cascas, os medos, os danos.
Por que ninguem constroe um futuro pensando no passado.
Eh dificil acabar um cciclo, nos livrarmos das coisas que nos sao familiares, que nos dao a sensacao de seguranca.
Mas eh importante nos lancarmos na vida, de coracao aberto , como uma folha de papel branca linda, convidativa a se escrever, e nao um papel(alma) cheia de rabiscos e cicartrizes.
Pra ser , que seja grande, que seja inteiro.
beijos no seu coracao

Nilson Barcelli disse...

Quanto ao passado, tens toda a razão, no essencial concordo contigo.
Para 17 anos o poema está muito bem escrito. Ele reflecte um estado de espírito característico da adolescência. É natural, por isso, que não te sintas nada assim.

Queres ver o que aparece por cima e por baixo desta caixinha?

Hinterlassen Sie Ihren Kommentar.

Sie können einige HTML-Tags verwenden, wie beispielsweise

-------

Wählen Sie eine Identität aus.
Nilson Barcelli (Ihr Blogger-Anzeigename)

Ein anderes Konto verwenden
Sonstiges

Name

Ihre Webseite

Alle diese Felder sind optional.

Anonym

Estes gajos pensam que sou alemão...

Bom fim-de-semana.
Um beijo.

olhos cor do lago disse...

Para mim, o passado já não tem o mesmo significado, tem servido como ponto de referência para as coisas boas e as coisas menos boas, mas é passado. Não digo que as mazelas não fiquem, que não influenciem... claro que sim... senão não teríamos aprendido nada com os nossos erros e os dos outros... Servem para nos ajudar nas decisões do presente... Mas o que deve prevalecer são as recordações dos momentos bons que nos enchem de alegria, que nos enchem de energia e ajudam a construir o futuro...

O presente é agora, é o momento, é a vivência diária, sem pressas, sem buscas incessantes de felicidade... A felicidade está presente no dia-a-dia, nas pequenas coisas, na satisfação de saborear os momentos, de estar com quem gostamos, de estar com quem gosta de nós...

Quanto ao futuro... esse... é construído dia-a-dia, traçado com linhas fortes repletas de sonhos e desejos...

Beijinhos

Desambientado disse...

Apesar dos pensamentos confusos, sentimentos contraditório é tão bonito o que dizes que sentes, ou melhor, que sentias. É poesia....

Claudinha disse...

Oi amiga, que bom saber que você também tinha seu "blog" de papel ond escrevia seus sentimentos. Olha só, seus sentimentos ficaram gravados no tempo, para que se lembre do que passou e aprenda com seu caminho. Eu tinha os meus caderninhos, e de vez em quando eu publico alguma coisa da época. Muita gente acha que meus sentimentos do texto têm a ver com o que sinto hoje, mas é coisa gravada no tempo. Beijos e bom domingo!

Carlos Henriques disse...

Olá Cláudia
Gostei muito do poema... para concluir direi que também gosto de viver e também tento contornar os obstáculos que no dia a dia se me deparam.

**beijos**

Marco Santos disse...

Querida Bruxinha: Adorei ler o que você escreveu sobre a importância de nosso passado. poderia ser o dístico do meu blog Antigas Ternuras. O sentimento que tínhamos no passado nunca é fugaz. Ele foi um retrato de nossa alma naquele momento. Quantos de nós não nos sentimos assim, revoltados e incompreendidos aos 17 anos? Cansados de tudo e de todos, parecendo uma poesia do Augusto dos Anjos?
Hoje, olhando pra o caminho percorrido, vemos que andamos pra frente. Crescemos. Amadurecemos. temos uma história pra contar aos que estão agora entrando na estrada. Muito legal o que você escreveu.
Mudando de assunto: querida, estou em uma megaturnê mundial com o espetáculo Nhoque em tempos de Crise. No dia 2 de dezembro, sábado, às 20h, estaremos no SESC da sua cidade. Eu adoraria vê-la na platéia.
Um grande beijo e um ótimo domingo!

_Maga disse...

É... aprendi uma coisa nessa vida: a vida não tem um sentido pronto. O sentido da vida está naquilo que fazemos (e não falo apenas de "grandes" realizações mas do dia-a-dia mesmo!). Beijos

Angela disse...

Não podemos apagar o passado. O passado faz parte de nós com todo o bem e o mal que contem.
O teu poema é muito bonito e é característico daquelas fases em que achamos que não somos nada.
Ainda bem que neste momento não sentes isso. Ainda bem que enfrentas a vida com positivismo.

Beijo grande.

wicky disse...

tudo tem a sua epoca , os seus momentos , a magia de cada situaçao

Um beijo para ti

Sophie disse...

Muito bonito,

:)

Anônimo disse...

Você escreveu isso aos 17 anos, eu tenho 40 e me sinto exatamente assim...como você conseguir mudar isso ?
Nelkyy@yahoo.com.br