quinta-feira, 19 de abril de 2007

Perdendo as Asas


Um coração atormentado por nefastos sentimentos
Perde o viço, enruga e sangra por dentro
Tudo o que lhe era precioso torna-se vazio
As imagens, antes coloridas, agora são pálidas
Tingidas de cinza, ficam nebulosas e frias
Nenhuma fagulha de esperança e força resistiu a dor
Sozinho, fechou-se para o mundo que não se importou
Esqueceu que era um coração livre e indomável
Aos poucos foi perdendo as asas, não mais voou
Perdeu a noção de espaço, de direção
Passou a vagar sem rumo, tornou-se instável
Um sonâmbulo suspenso pelos ecos da solidão

Autora: Bruxinhachellot.


Por Bruxinhachellot.

14 comentários:

Noz Moscada disse...

mas pode acordar....

Mestre Splinter disse...

''(...)De tanto volar caerás, tendrás que aprender a caminar(...)''

Da canção ''Levantate Y Anda'', do grupo astruriano Avalanch, que encontramos nos álbuns El Ángel Caído(2001) e Las Ruinas del Edén(regravações com novos arranjos,2004)...Aqui, na Página Oficial, as letras e comentários dos autores: http://www.avalanch.net/angelcaido.htm e aqui tu baixas todos os trabalhos do grupo: http://descargadirectametal.blogspot.com/2007/01/discografia-de-avalanch.html

...se quiseres, óbvio, hehehe...

Tchau, Dona Bruxa! O conto está demais!

Alexandra disse...

"Sozinho, fechou-se para o mundo que não se importou"

Por vezes é esta a grande realidade. Felizmente ainda há quem a escreva!

Gostei muito de cá estar!

Bjs

Marco disse...

Já fui votar no seu blog.
Meio tristonha essa poesia, né?... Bonita, mas tristonha...
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

collybry disse...

Poema muito triste, espero ver com alegria, bjca e neu rasto__________

Saramar disse...

Muito bonito, apesar de triste.
Um coração que perde as asas e se esquece que sabe voar é uma imagem forte e desoladora.
Gostei muito.

beijos

Rosa Maria disse...

Haverá um dia em que esse coração desperta, e no seu vaguear sem rumo,distinguirá uma nova luz de Amor e novamente voará...

Vity disse...

Ola....

Que momento triste este que acabo de ler....

Felizmente o coração não voa sempre com as mesmas asas....vão umas, mas vem outras mais fortes...
Parabens pelo espaço.
beijo
Vity

Moonpoet disse...

O ressentimento e a mágoa nunca foram bons conselheiros para quem queira ser feliz... São escuros, frios e pesam demais... O coração gosta de cor e alegria... e acima de tudo de liberdade... e de leveza para poder trocar connosco os mais belos passos de dança... Jinhos :)

Ricardo Rayol disse...

Quanto amargor em tal coração, sem um mínimo de perdão a vista... perde liberdade e se transforma em escravo de seu rancor.

Claudinha disse...

A solidão teve seu momento em suas palavras tão bem elaboradas. Quando perdemos as asas flutuamos no vazio deste sentimento. Lindo!
Um beijo!

Solitária disse...

Demasiado triste, mas como eu entendo!!
Um coração atormentado...a solidão... talvez um dia as feridas sarem e esse coração consiga recuperar as suas asas e voltar a voar!!
Belas palavras!!

Vim agradecer a visita e as palavras deixadas.
Votos de um excelente fim de semana!!
Beijinhos

Nilson Barcelli disse...

As tuas palavras quase sempre são muito boas para reflectir um pouco.
Estas não fogem à regra.
Bom fim de semana.
Beijos.

Anônimo disse...

Caros amigos,

"José Afonso", figura ímpar da cultura portuguesa, que trilhou, desde sempre, um percurso de coerência na recusa permanente do caminho mais fácil, da acomodação, no combate ao fascismo salazarista e pela liberdade e democracia, é tema de um selo que está em 4º lugar. Precisamos do voto de todos para que se faça um selo em sua memória e em louvor à Liberdade.
Num período de exaltação de valores salazaristas, devemos contrapor com os nossos defensores de Abril!

“Venham mais cinco!!
Traz um amigo também!”


VOTA
[aqui]

Abril, SEMPRE!!

Davide da Costa