sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Ciranda


"É muito comum no Brasil definir ciranda como uma brincadeira de roda infantil, porém na região Nordeste e, principalmente, em Pernambuco ela é conhecida como uma dança de rodas de adultos. Os participantes podem ser de várias faixas etárias, não havendo impedimentos para a participação de crianças também.
É uma dança comunitária que não tem preconceito quanto ao sexo, cor, idade, condição social ou econômica dos participantes, assim como não há limite para o número de pessoas que dela podem participar. Começa com uma roda pequena que vai aumentando, a medida que as pessoas chegam para dançar, abrindo o círculo e segurando nas mãos dos que já estão dançando. Tanto na hora de entrar como na hora de sair, a pessoa pode fazê-lo sem o menor problema. Quando a roda atinge um tamanho que dificulta a movimentação, forma-se outra menor no interior da roda maior.
Os participantes são denominados de cirandeiros e cirandeiras, havendo também o mestre, o contra-mestre e os músicos, que ficam no centro da roda. Voltados para o centro da roda, os dançadores dão-se as mãos e balançam o corpo à medida que fazem o movimento de translação em sentido anti-horário. A coreografia é bastante simples: no compasso da música, dá-se quatro passos para a direita, começando-se com o pé esquerdo, na batida forte do bombo, balançando os ombros de leve no sentido da direção da roda. Há cirandeiros que acompanham esse movimento elevando e baixando os braços de mãos dadas. O bombo ou zabumba, mineiro ou ganzá, maracá, caracaxá (espécie de chocalho), a caixa ou tarol formam o instrumental mais comum de uma ciranda tradicional, podendo também ser utilizados a cuíca, o pandeiro, a sanfona ou algum instrumento de sopro.
O mestre cirandeiro é o integrante mais importante da ciranda, cabendo a ele "tirar as cantigas" (cirandas), improvisar versos, tocar o ganzá e presidir a brincadeira. Ele utiliza um apito pendurado no pescoço para ajudá-lo nas suas funções. O contra-mestre pode tocar tanto o bombo quanto a caixa e substitui o mestre quando necessário. As músicas podem ser as já decoradas, improvisadas ou até canções comerciais de domínio público transformadas em ritmo de ciranda. Pode-se destacar três passos mais conhecidos dos cirandeiros: a onda, o sacudidinho e o machucadinho. Alguns dançarinos criam passos e movimentos de corpo, mas sempre obedecendo a marcação que lhes impõe o bombo. Não há figurino próprio. Os participantes podem usar qualquer tipo de roupa e a ciranda é dançada durante todo o ano."

Uma das cirandas mais conhecidas é a de Antônio Baracho da Silva:

Estava
Na beira da praia
Ouvindo as pancadas
Das águas do mar

Esta ciranda
Quem me deu foi Lia
Que mora na ilha
De Itamaracá

Por Bruxinhachellot.

22 comentários:

Ricardo Rayol disse...

Gostei de saber mais sobre nosso folclore.

Alma de Poesia disse...

Sempre excelentes textos por aqui.
Muito legal essa postagem querida. Adorei!

Bruxinha,... meu blog mudou de de endereço. Agora é [ http://naturezapoetica2007.blogspot.com/ ]
Ainda esta em construção mas se quiser fazer a troca vou adorar continuar linkada no seu ok. Beijinhos de alma.

inês disse...

aos poucos vou aprendendo mais da vossa cultura!

**:)))

Claudinha disse...

oi menina! Adorei o novo visual! Eu adoro cirandas, quando crianças brincávamos direto. Procuro manter esta tradição com os pequenos, mas aqui é mesmo brincadeira, não é como no nordeste. Beijo!

efeneto disse...

...como é bom vir aqui e receber uma lição de historia e tradição. Beijo amigo.

Thais disse...

Boa Tarde,

Sou Thais Iglesias da empresa HOTWords. Gostaria de tornar parceiro do Site Labirinto do Sol e da Lua para inserção de anúncios publicitários. Estamos interessados em sites com este perfil.
Nosso sistema é totalmente contextual, aparecendo no corpo do texto com um duplo sublinhado. O HOTWords faz a leitura dos textos e encontra palavras do nosso banco de dados compradas por nossos anunciantes.
Segue link para visualização de nosso sistema:
http://www.gazetaesportiva.net/ge_noticias/bin/noticia.php?chid=104&nwid=33863

Aguardo um retorno para iniciarmos esta parceria.

Um abraço e bons negócios,
Thais Iglesias
thais@hotwords.com.br

AnaLua disse...

Obrigada pela visita mo meu recanto, e gostei muito do que vi por aqui, temos gostos comuns... Beijão!

Vieira Calado disse...

Conhecia o verbo cirandar - andar por ali, às voltas.
Deve ter alguma coisa a ver com esse costume tradicional.
Beijjjinhos

Mestre Splinter disse...

Muy importante preservar sempre as coisas nossas, nativas...Que sempre haja rodas de ciranda!

Marco disse...

Ahhhh... eu dancei ciranda em Recife! Na Praia de Boa viagem! E a Lia, a famosona, estava cantando!
Foi maravilhoso!
Ótimo post, amiguinha.
Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Du disse...

Muito bom, adorei!

Gerlane disse...

Olá, Cláudia!

Adoro ciranda, costumamos dançá-la aqui em Recife, no carnaval, e sempre vou à Itamaracá, a terra da ciranda.
Bonito seu blog!
Também sou fascinada pelo sol e pela lua.
Obrigada pela visita ao meu blog!

Abraços pernambucanos,

Gerlane

Keila, a Loba disse...

... As brincadeiras eram excitantes porque eram de uma simplicidade genial, algo incomum nos dias de hoje, onde vemos nossos filhos no computador horas preciosas.

Estava com saudades de você, minha Bruxinha.

BeijUivooooooooooossssss da Loba

...na Lua... disse...

Visitando o blog pela primeira vez!
Mais pela curiosidade do nome que me encanta por ter um elemento que adoro: LUA.
Chegando, adorei o blog...textos pessoais com toque requintado!

Parabéns!

Bia disse...

Atualizei a leitura, amiguinha, pois fiquei afastada uns dias. Fiquei encantada com a poesia que fizeste aos 10 anos. Já estava formada ali a tua alma poética.

Deve ser lindo esse espetáculo da Ciranda. As cantigas de roda sempre me atrairam. Muito bom o teu texto a respeito.

Deixo-te pétalas de perfumadas flores silvestres, um beijo no coração e o desejo de horas lindas a enfeitar os teus dias.

livia soares disse...

Grata pela visita ao meu blog.
Também gostei muito daqui e vou dar uma olhada, com calma, no Caminho dos Contos. Vi, pela leitura do seu perfil, que temos muito em comum nas leituras, na música (eu amo David Bowie) e no cinema. Apareça sempre.
Um abraço.

livia soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Oliver Pickwick disse...

Celtas, Willow, Nárnia, Terra do Nunca, Harry Potter, Paganismo, Gandalf, Sauron... Ei, Bruxinha, de vez em quando você vai ao mercado, à escola, ao shopping, como nós, os mortais?
Gostei do blog e sua atmosfera de fantasia.
Cirandas, vale lembrar que até mesmo o grande Heitor Villa-lôbos compôs algumas cantigas de roda. Bem a propósito a sua matéria.
Destaquei ainda: "Rabisco versos como quem coleciona sorrisos".
Voltarei outras vezes para ler mais.

Maria disse...

Ol� bruxinha espero que estejas bem.
Sou portuguesa e acho essa tradi�o muito bonita,n�s por c� tamb�m temos a dan�a da ciranda no foclore.
Bem...j� esquecia de dizer que tens um miminho no meu blog.
Beijinhos e um sorriso
Maria

inês disse...

por onda andas?

bom fim de semana!

­­Misael Roberto disse...

Muito interessante, nosso folclore realmente é muito rico, muito obrigado pela visita em meu blog, adorei o seu beijinho infinito, eu retribuo o beijo, não é infinito, mas vai durar o suficiente para te alcançar.

Luna Tic disse...

Textos muito interessantes os seus...
Vou-me tornar leitora assídua...


Saudalunações