quarta-feira, 22 de julho de 2009

A dor de um espinho

Se souber a autoria da imagem, favor informar
.
*
Ao sabor das horas descanso
Minha mente segue seu caminho
Quero agarrar meu destino, mas não alcanço
Pesa-me no peito a dor de um espinho
*
Exalo as ideias pelo avesso
Meu coração bate em desalinho
Quero acordar, mas adormeço
Na solidão sem seu carinho
*
Os sonhos perdem o viço
Meu desejo azeda como o vinho
Quero acreditar no amor, apenas isso
Não mais viver assim sozinho
*
Autoria de Cláudia Valéria Miqueloti (Chellot)
.
Beijos doces em seu coração.

9 comentários:

Ciça Lize disse...

Oi passei por aqui e gostei muito!!! bjssssssss

Lis disse...

Lindo o poema, poema de amor que encanta.

Bom domingo
Beijos

Adriano Siqueira disse...

somos solitários. mesmo nas horas mais populosas da nossa vida. mas sempre teremos a lua e o sol.

abençoada seja claudia
e escreva sempre
abraços
adriano siqueira

Adriana Calábria disse...

Obrigada pela visita no meu cantinho, volte sempre!

Gostei bastante daqui tb.

Abração.

Márcio Kindermann disse...

Gostei daqui, voltarei!
abç

Chá das Cinco disse...

Que lindo poema Claudia, parabéns.
Eu gostei muito do teu blog e acabei ficando por aqui.Estava fazendo uma busca e encontrei o teu blog,muito bom.
Aguardo você e a tua opnião no meu Chá das Cinco.
Um abraço linda

Ciça Lize disse...

Oláaaaaaaa!!
Tem selinho pra vc lá no meu cantinho!!! Beijos e passe por lá tá!!

~PakKaramu~ disse...

Pak Karamu reading your blog

Nilson Barcelli disse...

Todos nós temos os nossos espinhos pessoais. E, quando eles "picam" mais, é natural que o "desejo azeda como o vinho"...
Belíssimo poema querida amiga, gostei imenso.
Bom fim de semana.
Beijo.